Análise de integração do AAV após acompanhamento de longo prazo em cães com hemofilia A revela as conseqüências genéticas da correção de genes mediada pelo AAV
Destaques da 23ª Reunião Anual da ASGCT

Análise de integração do AAV após acompanhamento de longo prazo em cães com hemofilia A revela as conseqüências genéticas da correção de genes mediada pelo AAV

John K. Everett1Giang N. Nguyen2Hayley Raymond1Aiofe Roche1Samita Kafle2Christian Wood2Jacob Leiby1Elizabeth P. Merricks3Haig H. Kazazian4Timothy C. Nichols3Frederic D. Bushman1Denise E. Sabatino2,5

1Departamento de Microbiologia, Escola de Medicina Perelman, Universidade da Pensilvânia, Filadélfia, PA

2O Raymond G. Perelman Center for Cellular and Molecular Therapeutics, Hospital Infantil da Filadélfia, Filadélfia, PA

3Departamento de Patologia e Medicina Laboratorial, Universidade da Carolina do Norte, Chapel Hill, NC

4Instituto de Medicina Genética, Escola de Medicina Johns Hopkins, Baltimore, MD

5Departamento de Pediatria, Escola de Medicina Perelman, Universidade da Pensilvânia, Filadélfia, PA

Pontos de dados principais

Este estudo envolveu o acompanhamento a longo prazo (até 10 anos) de nove cães com hemofilia A tratados com terapia gênica canina FVIII (cFVIII). O gene cFVIII foi entregue a cães HA usando AAV9 ou AAV8 usando duas abordagens de entrega: entrega de duas cadeias que co-entregaram a cadeia pesada e a cadeia leve em 9 vetores separados, ou cFVIII excluído do domínio B em um único vetor AAV2.

O número de cópias do vetor e as análises do local de destino da integração demonstraram clones expandidos com moléculas de AAV integradas, incluindo um clone contendo um vetor intacto. Nenhum cão demonstrou evidência de tumorigênese, sugerindo que os eventos de expansão e integração clonal não estavam associados a malignidades.

CONTEÚDO RELACIONADO